Promovendo a Liberdade de Expressão na África Austral

hugo firminoO MISA-Moçambique tomou conhecimento, com indignação, da agressão da equipa de repórteres da STV em Inhambane, Hugo Firmino (Jornalista) e Félix Jamisse (repórter de imagem), pela gerência do supermercado Taurs, ocorrida na tarde quarta-feira (05.12.2019) na zona turística de Guinjata, distrito de Jangamo, Província de Inhambane.


Hugo Firmino e Félix Jamisse deslocaram-se àquele Supermercado para apurar os contornos de uma suposta denúncia dos trabalhadores daquele empreendimento comercial relacionados a alegadas violações dos seus direitos, caracterizados por incumprimento de obrigações salariais, despedimentos arbitrários e mau ambiente laboral.

Sucede que, tal como reportam os Jornalistas e o Núcleo Provincial do MISA em Inhambane, ao ser contactado pela equipa da STV, o gerente, Xen Deppen, impediu a captação de imagens e, recorrendo à agressão, retirou a câmera de filmagem da equipa da STV. O MISA sabe que a recuperação do equipamento só foi possível depois da intervenção das autoridades policiais, trinta minutos depois do sucedido. A intervenção policial fez com que o gerente permitisse a captação de imagens, ainda assim, sem a liberdade desejada.


O MISA-Moçambique condena vigorosamente este acto, recordando que a agressão e retirada do equipamento de trabalho aos Jornalistas constitui um grave atentado à Liberdade de Imprensa legalmente e constitucionalmente consagrada. O MISA faz lembrar ainda que nenhuma entidade deve, em circunstância alguma, interferir no trabalho jornalístico, assim como recorrer ao uso da violência para interferir no seu trabalho.

O MISA vai desencadear um processo em vista a responsabilização criminal do gerente em causa, assim como exorta ao Ministério de Trabalho a apurar a factualidade das alegadas violações reportadas pelos trabalhadores e a tomada de medidas exemplares contra a empresa.